Bolsonaro reclama por não receber fotos no Facebook, mas usa configuração que impede

Bolsonaro reclama por não receber fotos no Facebook, mas usa configuração que impede
COMPARTILHE!

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem o recurso de envio de fotos por comentários desativada em seu Facebook.

Desde sexta-feira (12), Bolsonaro vem fazendo críticas ao Facebook, alegando censura. Nesta segunda-feira (15), criticou a rede social e defendeu o aumento da tributação das big techs no país.

“Agora deixa o povo se libertar, porque tem liberdade. Logicamente que se alguém extrapolar alguma coisa, tem a Justiça para recorrer. Agora o Facebook bloquear a mim e a população é inacreditável […] E não há uma reação da própria mídia, ela se cala. Falam tanto da liberdade de expressão para eles em grande parte mentir com matérias. Agora para a população é uma censura que não se admite”, completou, em vídeo transmitido numa rede social de seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

“Os combustíveis continuam aí demonstrando uma nuvem muito carregada no horizonte, vamos resolver esse problema. Obrigado quem mandou [foto de] nota fiscal [de abastecimento] para mim por outros meios, já que o Facebook bloqueou. Vamos ver, já liguei para a AGU [Advocacia-Geral da União] para ver o que a gente pode fazer.”

Bolsonaro fez referência a postagem em sua página na sexta, em que pediu aos seguidores que abastecesem seus carros com R$ 100 e que postassem nos comentários a nota fiscal. O objetivo do presidente era questionar o ICMS dos combustíveis cobrado pelos estados.

Seguidores começaram a fazer reclamações de que não conseguiam anexar imagens nos comentários. Em seguinda, Bolsonaro compartilhou uma notícia sobre a redução de conteúdos relacionados a política na rede social.

A medida, que está em fase de teste no Brasil, Canadá e Indonésia, entrou vigor na semana passada, e será aplicada nos EUA nas próximas semanas. Segundo o comunidado do Facebook, está sendo reduzido temporariamente a distribuição apenas no feed de notícias e para uma pequena porcentagem de usuários.

A medida não tem relação com a publicação ou não de fotos no perfil do presidente por internautas.

Com a mudança, o objetivo da big tech é “preservar a capacidade das pessoas de encontrar e interagir com conteúdo político no Facebook, respeitando o interesse de cada uma delas sobre o que desejam ver no topo de seu feed”, diz a postagem no blog do Facebook.

Procurado, o Facebook não quis comentar as afirmações do presidente.

A reportagem fez testes em diferentes computadores e em outras páginas que estão autorizadas a postagem de imagens nos comentários. No padrão do Facebook em páginas com todas as funções autorizadas, aparecem quatro ícones: inserir emoji, anexar foto ou vídeo, comentar com um GIF ou publicar uma figurinha. Na fanpage do presidente, a função “anexar foto ou vídeo” não aparece.

Segundo a central de ajuda do Facebook, isso pode ser desabilitado no painel de configurações, onde o administrador pode controlar o que os visitantes podem publicar na página. Se o usuário permite que visitantes publiquem, pode optar por: permitir publicação de fotos e de vídeos ou analisar as publicações de outras pessoas antes de elas aparecerem na página.

O Planalto não respondeu a um pedido de comentário até a publicação deste texto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *