Casares revela ação do marketing para São Paulo pagar acordo com Dani Alves

Casares revela ação do marketing para São Paulo pagar acordo com Dani Alves
COMPARTILHE!

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – O São Paulo estuda uma forma de quitar a dívida de cerca de R$ 12 milhões com Daniel Alves. Com o auxílio do departamento de marketing e o estafe do jogador, o clube trabalha possíveis ações com a imagem do craque a fim de pagar a pendência, criada nos primeiros meses de contrato, ainda na gestão de Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco.

O presidente Julio Casares explica que há um projeto em curso para que o clube quite a pendência com o atleta de 37 anos.
“Nós temos uma área que está profissionalizada. O Eduardo Toni trabalhou bem e temos uma boa equipe de marketing. A questão de Daniel Alves deveria preceder o planejamento para depois vir o nome. Mantemos diálogo com o Daniel e com a equipe dele. Estamos tentando recuperar isso. Ele participa e tem uma boa vontade muito grande. Teremos notícias importantes em breve com a participação do Daniel. É um grande produto de marketing, de mercado, o maior lateral do mundo. Teremos, em breve, a questão do Daniel liquidada e também com os demais atletas”, afirmou o mandatário em entrevista coletiva.

Daniel Alves tem contrato com o São Paulo até dezembro de 2022. O jogador custa R$ 25,3 milhões por ano aos cofres do clube. De acordo com o balanço financeiro do Tricolor paulista na temporada passada, a dívida com o atleta é de R$ 9 milhões.

Confira outras declarações de Casares na entrevista:

NAMING RIGHTS DO MORUMBI

“Quando você olha o que está acontecendo no mundo ou na pandemia, vê que a situação está difícil. Não tenho perspectiva muito grande no primeiro ano em razão da economia e da pandemia. A questão do patrocínio é para valorizar a nossa marca. Embora eu respeite as empresas parceiras e que foram corretas, elas terão a oportunidade de entrar na nossa jornada. É um São Paulo diferente que passa também pela ativação do estádio.”

NECESSIDADE DE VENDA DE JOGADORES

“A venda de jogador é algo que está prevista em orçamento. O ideal é que a gente não precisasse de dinheiro da venda de jogador. Se você pegar um co-irmão, ele vem há um, dois anos vendendo um jogador por ano. O São Paulo alargou o elenco e promove jogadores da base. Estão lá o Talles, o Gabriel Sara, o Igor Gomes, o Luan, o Vitinho, o Natan… Com esse elenco largo, você pode abrir mão de um ou dois jogadores, como fizemos com o Brenner, quando a proposta é muito boa. Nós queremos conquistas, mas temos que ser inteligentes. Vamos vender atletas quando for necessário, mas sem negligenciar a busca por títulos.”

ESCOLHA POR CRESPO

“O nosso processo de seleção foi extremamente profissional. Hernán Crespo e a sua comissão estão felizes e nós também. Pela técnica, pela fidelidade, estamos felizes pela filosofia de jogo. O mercado existe, a pretensão existe. É normal no mundo do futebol, mas temos convicção de que o Hernán e sua comissão altamente confiantes estão muito envolvidos no São Paulo. Ele faz com que todos estejam motivados. Teremos uma vida muito longa, com ele nos respeitando, a gente o respeitando. Ele tem perfil de respeito e equilíbrio. Entram times com o mesmo perfil. É sinal de trabalho, uma comissão que trabalha em dia de jogo, mas tem, sobretudo, o comprometimento com o grupo.”

CRESPO NO DIA A DIA

“Ele é uma pessoa que tem uma simplicidade, abre caminhos para diálogos, mostra através do exemplo como profissional e técnico o exemplo do trabalho. É uma pessoa que se esforça para respeitar a instituição. Está fazendo curso, tem falado um português bem apropriado. É uma pessoa que tem diálogo aberto com os atletas. Você não viu ainda o Crespo individualmente exaltar, ele enaltece o trabalho em grupo. Esse coletivo é o que nos dá a sensação e mostra que é uma visão, um perfil diferente. Ganhar ou perder é questão de jogo. É um trabalho que está se iniciando. Temos que ter humildade, pés no chão e compor, a cada dia, um tijolinho nessa construção. O São Paulo precisava de um líder, como é o Hernán Crespo. Tínhamos 17 jogadores formados em Cotia contra o Ituano. Ele está trabalhando muito bem com a nossa mão de obra, que é muito boa.”

CONTRATAÇÕES DE GRANDES NOMES

“Na minha visão, temos que ter um jogador experiente, jogadores fora de série, como Miranda, Daniel Alves, William, Eder… E você tem que fazer um mix, com jogadores como Benítez, Bruno Rodrigues e a força e a energia da base. O que não podemos é fazer um investimento muito alta e desequilibrar o elenco. O elenco do São Paulo tem equilíbrio. O São Paulo tem um elenco equilibrado e é capaz de enfrentar desafios. Esse equilíbrio do elenco é para que a gente possa ousar e usar estratégias diferentes. Foi um trabalho olhando o elenco, orçamento e a composição dos jogadores. É um equilíbrio, a média do São Paulo está entre 25, 26 anos. Veja o caso do Galeano, um jovem que estava aqui sem o contrato renovado e nós renovamos. As joias de Cotia são nossa prioridade. Teremos um elenco muito mais capacitado.”

SITUAÇÃO DE GALEANO

“Todo grande jogador do elenco, o São Paulo vai trabalhar para que ele permaneça. O São Paulo trabalha com transparência e equilíbrio dentro do orçamento. Vou dar o exemplo do Gabriel Neves. Nós queríamos e não trouxemos, porque não cometeríamos o erro de fazer o investimento acima do que podemos. O Galeano continuará no São Paulo, assim como outros valores. Nós acreditamos que o Galeano, assim como fizemos o esforço lá atrás, vai continuar no São Paulo.”

Notícias ao Minuto Brasil – Esporte
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *