Entenda como funciona o sistema de Israel que intercepta mísseis no ar

Entenda como funciona o sistema de Israel que intercepta mísseis no ar
COMPARTILHE!

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – As cenas de mísseis sendo interceptados no ar em cidades israelenses nos últimos dias chamaram a atenção para o sistema antimísseis de Israel, que diz ser capaz de conter 90% dos projéteis disparados contra o país.

A tecnologia envolve o uso de três sistemas de mísseis. O mais citado deles é o Iron Dome (cúpula de ferro), em operação desde 2011. Todos usam artefatos capazes de rastrear outros projéteis e abatê-los no ar, antes que atinjam seus alvos.

Israel tem dez baterias de mísseis do tipo, segundo dados do Global Affair Strategic Studies, da Universidade de Navarra. Elas ficam posicionadas perto de cidades israelenses e de outras áreas estratégicas, e cada uma tem a capacidade de proteger uma área em torno de 150 km².

Os equipamentos usam três tipos de projétil, capazes de atacar alvos a curta, média e longa distâncias.

Nos últimos anos, avanços em inteligência artificial aumentaram a capacidade do sistema para rastrear e calcular as trajetórias dos mísseis inimigos, ampliando a precisão das interceptações. Para cortar gastos, se o sistema avaliar que o míssil se dirige a uma área inabitada, ele não é abatido.

Notícias ao Minuto Brasil – Mundo
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *