Estado já aplicou R$ 620 milhões em multas ambientais e endurece medidas contra infratores

Estado já aplicou R$ 620 milhões em multas ambientais e endurece medidas contra infratores
COMPARTILHE!

Estado já aplicou R$ 620 milhões em multas ambientais e endurece medidas contra infratores

Governo lançou nesta segunda-feira (31) mais uma etapa da operação, com o objetivo de intensificar o monitoramento e fiscalização no combate aos crimes ambientais


Lorena Bruschi

| Sema-MT

Operação Amazônia Arco Norte na região de Aripuanã – Desmatamento – Foto por: Mayke Toscano/Secom-MT

Operação Amazônia Arco Norte na região de Aripuanã - Desmatamento

Do início do ano até o dia 27 de maio, o Estado de Mato Grosso já aplicou mais de R$620 milhões em multas ambientais por meio da Operação Amazônia – combate ao desmatamento ilegal, incêndios florestais, e outros crimes ambientais. Nesta segunda-feira (31) o governo lançou mais uma etapa da operação, com o objetivo de intensificar o monitoramento e fiscalização, e ampliar o efetivo e estrutura de combate aos crimes ambientais. 

As equipes atenderam neste ano 3.545 alertas de desmatamento ilegal identificados por imagens de satélite de alta resolução. Já foram embargados cerca de 110 mil hectares por desmatamento ou exploração florestal ilegal. Foram apreendidos 116 tratores, 91 veículos, 40 motosserras, e 18 suspeitos foram conduzidos para a delegacia. 

A apreensão e remoção de maquinários flagrados em delito ambiental é uma ação chave para impedir que o crime ambiental, identificado ainda no início, não continue mesmo após fiscalização, e ainda promove o efeito pedagógico de coibir o crime, já que o prejuízo é imediato ao infrator. 

“Nosso objetivo é orientar a população e coibir a ação daqueles que insistem em cometer atos ilícitos contra o meio ambiente. Para isso, a Operação Amazônia já ocorre desde o início do ano. Estamos investindo os R$73 milhões para combate e prevenção ao desmatamento e incêndios ilegais, e agora, vamos fortalecer ainda mais as ações integradas para dar uma resposta rápida e impedir que o desmatamento ilegal aconteça”, explica a secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti.

A atenção é especial aos três Biomas, mas conforme a gestora, o Estado possui equipes fazendo as ações preventivas aos incêndios no Pantanal, limpando a vegetação e fazendo aceiros, limpando as margens da transpantaneira e o entorno das pontes. Também já há equipes em campo promovendo a fiscalização e a repressão do desmatamento ilegal, principalmente na Amazônia. 

Serão empenhados nesta operação 36 veículos e mais de 100 servidores em 13 equipes, entre eles efetivos da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), Polícia Militar (PM), Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental (BPMPA), e Batalhão de Emergências Ambientais (BEA). Também fazem parte da força-tarefa o Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), Corpo de Bombeiros Militar (CBMMT), Instituto de Defesa Agropecuária (Indea), Ministério Público de Mato Grosso (MPMT), Ministério Público Federal (MPF) e Ibama.

Municípios que mais desmatam

Conforme levantamento da Superintendência de Fiscalização da Sema-MT, o município de Colniza é a cidade com mais multas ambientais aplicadas desde o início do ano, com R$ 111 milhões, seguida por Aripuanã com R$ 17 milhões, Feliz Natal (R$ 11 milhões), União do Sul (R$ 7 milhões) e Nova Ubiratã (R$ 4,2 milhões). 

As cidades que mais desmatam estão localizadas no extremo Norte do estado, cujo bioma é o Amazônico, e que por isso, é alvo de fiscalização e monitoramento contínuo pelos órgãos competentes.

C

Governo do Estado de Mato Grosso
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *