Projeto oferta mentoria sobre legislação e orientação em empreendedorismo a vítimas de violência doméstica

COMPARTILHE!

Projeto oferta mentoria sobre legislação e orientação em empreendedorismo a vítimas de violência doméstica

Primeiro encontro do projeto foi realizado com um grupo de 30 mulheres atendidas pela delegacia especializada


Raquel Teixeira

| Polícia Civil-MT

A busca por alternativas que possam proporcionar um novo caminho, inclusive de independência financeira é o desejo de dezenas de mulheres que ao denunciar a violência doméstica que sofrem, se veem em uma encruzilhada para tentar sair da dependência financeira e emocional. Um projeto iniciado pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cuiabá em parceria com o Grupo Mulheres do Brasil – Núcleo Cuiabá deu início a uma nova expectativa para diversas vítimas de violências que buscam uma nova perspectiva de vida.

Na última sexta-feira (21.05), o projeto realizou o primeiro encontro com um grupo de 30 mulheres atendidas pela delegacia especializada. De acordo com a delegada Jozirlethe Magalhães Criveletto, a iniciativa faz parte do projeto Dona de Mim, do Mulheres do Brasil, e nasceu da ideia de apoiar mulheres em condições de vulnerabilidade econômica a buscar alternativas de renda. A equipe da unidade policial fez a triagem com vítimas que são atendidas e focou naquelas que se declararam desempregadas ou em situação de dona de casa.

“Conseguimos com o apoio do Grupo de Mulheres do Brasil essa mentoria para levar às mulheres informações e alternativas de empreendedorismo. Parte das mulheres com quem entramos em contato já estavam trabalhando e as que se interessaram foram convidadas para esse primeiro encontro”, explica a delegada.

Com o apoio do Mulheres do Brasil, o grupo recebeu na primeira palestra, informações sobre a legislação aplicada a vítimas de violência doméstica, como são processadas as investigações até que o caso chegue à esfera judicial e também dinâmicas para que elas se conheçam, se fortaleçam e possam buscar sua independência socioeconômica.

“O acolhimento à vítima não tem fim apenas com o atendimento na delegacia, que é a porta de entrada para o sistema de Justiça. Com esses encontros queremos passar conhecimento do que vai acontecer nessa rota até a decisão final na Justiça, trazer informações no pós-denúncia e trabalhar a retomada da vida no âmbito profissional, além do apoio alimentar com a oferta de cesta básica por um período de até seis meses. É uma mentoria para as mulheres de como elas podem, a partir do que sabem fazer, se tornarem empreendedoras”, conclui Jozirlethe.

Projeto Dona de Mim

Líder do Comitê de Combate à Violência contra a Mulher, Bárbara Lenza explica que a mentoria ofertada às mulheres atendidas pela DEDM Cuiabá passa não apenas por orientações sobre empreendedorismo, mas também pelo papel de ressignificação, de resgate da autoestima e novas perspectivas.

“Trabalhamos sobre os direitos das vítimas saírem dessa situação de violência, agregando informação segura e acessível e a possibilidade dela se libertar desse círculo. O fato de a mulher denunciar não a retira do quadro de violência, então trabalhamos para que ela possa se libertar e se encontrar no mercado de trabalho”, explica a mentora.

Bárbara pontua ainda que os encontros mensais possibilitarão oportunidades de orientação e promoção para que cada mulher possa conhecer como se reestruturar financeiramente, além de ter um aporte alimentar e saber como buscar linhas de microcrédito.

Para *Maria, 25 anos, e mãe de quatro filhos, o primeiro encontro foi uma chance de trazer um pouco de alento e mostrar novas oportunidades para seguir a vida, após um ciclo de violência. “As palestras que ouvimos aqui nos ajudaram e deram esperança para que a gente procure uma alternativa de renda”.

O Comitê de Empreendedorismo do Grupo Mulheres do Brasil é formado por empresárias e mentoras de negócios que trabalham com orientação sobre oportunidades de renda e esclarecimento sobre linhas de microcrédito. A líder do comitê do Núcleo Cuiabá, Vanice Marques, explica que durante os encontros serão ofertados apoio para que as mulheres atendidas busquem alternativa para liberdade financeira. “O projeto Cesta da Esperança trabalha a doação de cestas básicas, que vem de apoiadores e integrantes do comitê e também essa orientação financeira”.

Mulheres do Brasil

O grupo reúne profissionais de diversas áreas e foi criado em 2013, a partir da união de 40 mulheres que sonhavam em engajar a sociedade na conquista de melhorias para o país e estimular a participação feminina na construção de um Brasil que seja melhor para todos os cidadãos.

Já o fundo Dona de Mim é uma iniciativa do Grupo Mulheres do Brasil que tem como objetivo impulsionar microempreendedoras individuais. Na primeira fase, a doação de 62 fundadoras do projeto resultou em empréstimos para 485 mulheres investirem no próprio negócio. Por se tratar de um crédito circular, o valor devolvido por empreendedora é usado para fornecer novos empréstimos a microempreendedoras em todo o país.

C

Governo do Estado de Mato Grosso
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *