Tsunami no Brasil: Confira as chances

COMPARTILHE!

Quando o vulcão La Cumbre Vieja (Ilhas Canárias, noroeste da África) ameaçou entrar em erupção, as redes sociais foram inundadas por rumores de tsunami com ondas de até 10 metros de altura no litoral do Brasil. A meteorologista Amanda Souza, da Meteored, aponta quais são as chances de isso realmente ocorrer e os verdadeiros riscos.

De acordo com o Instituto Nacional Geográfico, cerca de 400 tremores foram registrados no sul de Las Palmas desde o último sábado (11.09). Oceanógrafos explicam que existe sim a possibilidade de formar-se um tsunami que atinja a América do Sul e, por isso, as entidades responsáveis seguem no monitoramento.

No entanto, apontam os especialistas de modo geral, o risco é baixo e as chances são remotas. As autoridades espanholas aumentaram o alerta de erupção para o nível amarelo, que representa o nível dois, ou faixa intermediária numa escala que vai até o nível quatro. O especialista em oceanografia Carlos Teixeira, professor da Universidade Federal do Ceará, diz que esse alerta é um procedimento normal do governo espanhol, apenas para avisar que o vulcão está mais ativo.

“Existem vários estudos que mostram que se tivesse uma erupção específica nessa ilha, poderia gerar um tsunami que chegaria até o Brasil, mas não é toda erupção que gera um tsunami”, ressalva o especialista.

Segundo Mauro Andrade, professor de oceanografia física da Universidade do Vale do Itajaí, “mesmo que o vulcão entre em erupção, não significa que causaria um tsunami”. Já o oceanógrafo João Thadeu Menezes afirma que a chance de um tsunami atingindo a costa brasileira é remota, porque a costa do Brasil está em uma placa tectônica passiva.

Amanda Souza explica que a questão central é que ninguém consegue prever a magnitude do fenômeno, que “depende do volume de massa que se colapsa do vulcão. Mas o que se sabe é que um fenômeno do tipo de tsunami atingindo o Brasil seria possível apenas se o colapso da estrutura da encosta fosse total”.

“Apesar da chance remota, tanto autoridades espanholas quanto autoridades brasileiras seguirão no monitoramento dos tremores e da erupção vulcânica caso ela venha a acontecer de fato”, conclui a meteorologista da Meteored.

Fonte: Agrolink