Bem-vindo(a). Hoje é - Alta Floresta - MT
Anúncio Anúncio

Lada aumenta preços em até 30% na Rússia

Curta nossa página e receba notícias em primeira mão!

lada niva travel 1

O mercado automotivo russo começa a sofrer os efeitos do isolamento econômico devido ao conflito que o país decidiu iniciar com a vizinha Ucrânia.

Com embargo global, a Rússia começa a ver os efeitos econômicos originados no Ocidente com um aumento expressivo dos preços da Lada no mercado local.

Segundo a agência russa RIA Novosti, a Lada aumentou deliberadamente os preços dos carros no país, com alta média de 15%.

O Lada Granta teve seu preço elevado em 14% na tabela de março, custando assim a partir de 685 mil rublos ou 6.650 euros.

Já o sedã Lada Vesta pulou para 1.033.000 rublos, algo em torno de 10.000 euros, subindo assim 20%.

O crossover compacto Xray subiu 22%, iniciando em 1.010.000 rublos ou cerca de 9.800 euros.

No caso do furgão Largus, que é o antigo Logan MCV de primeira geração, o preço subiu 30% e parte de 1.077.000 rublos ou 10.460 euros.

lada 1

Acredita-se que o aumento esteja relacionado com a mudança cambial envolvendo a moeda russa, que se desvaloriza rapidamente à medida que a economia russa vai sufocando diante do bloqueio internacional.

A Lada pertence à AvtoVAZ que, por sua vez, tem 75% das ações nas mãos da Renault, que agora não pode se desfazer dos ativos da montadora local se quiser, pois, o governo bloqueou as remessas de ativos ao exterior.

Num mercado que vinha relativamente bem, as sanções internacionais de efeito imediato impactaram o setor automotivo.

Todas as montadoras e marcas dos EUA e Europa, assim como outras, cancelaram seus negócios na Rússia.

Por lá, já se fala que a primeira marca local a parar de produzir será a Kamaz, que usa componentes da Daimler Trucks.

A Lada também usa componentes estrangeiros, em especial de origem romena, dada sua sinergia com a Dacia.

Devido à situação atual, provavelmente o futuro da Lada está ameaçado pelo embargo e até projetos futuros, como o Novo Niva, podem ser atrasados ou até cancelados.

Nessa guerra econômica, quem deve se aproveitar é a China, que poderá assim investir pesado com automóveis, ônibus e caminhões de marcas nacionais como FAW, JAC e Chery, por exemplo.

[Fonte: RIA Novosti via Autoblog.rs]

Notícias Automotivas
Read More

COMPARTILHE!