Bem-vindo(a). Hoje é - Alta Floresta - MT
Anúncio Anúncio

Egito planeja exibir ao vivo execução de universitário que matou colega

Egito planeja exibir ao vivo execução de universitário que matou colega
Nos siga no Instagram para receber as notícias em primeira mão!

SÃO PAULO, SP (UOL-FOLHAPRESS) – A Justiça do Egito planeja exibir ao vivo na televisão a execução de um estudante que esfaqueou até a morte uma colega de turma que o rejeitara.

Mohamed Adel, 21, havia feito um pedido de casamento para Naira Ashraf, no entanto, a mulher o recusou. Em seguida, ele a abordou no lado de fora da universidade onde ela estudava e a atacou com uma faca. O crime foi registrado pelo circuito de câmeras no local.

Nas imagens, Adel foi visto dando um soco na cabeça de Naira enquanto ela descia de um ônibus. Após ela cair, o agressor deu vários golpes com faca na vítima.

A mulher morreu devido à gravidade dos ferimentos, principalmente no pescoço. O criminoso tentou fugir, mas foi rapidamente dominado por testemunhas, até que a polícia o prendeu.

O crime aconteceu em 20 de junho e gerou revolta entre civis em todo o país, de acordo com o jornal britânico The Sun.

Adel foi considerado culpado por assassinar a estudante e sentenciado à morte pelo tribunal.

Os investigadores também descobriram que o criminoso perseguia Naira não apenas nas ruas, mas também nas redes sociais.

A Justiça egípcia solicitou ao Parlamento que o enforcamento do criminoso seja transmitido ao vivo pela TV, com a justificativa de que a iniciativa pode impedir que crimes semelhantes aconteçam no futuro.

“A transmissão, mesmo que apenas parte do início do processo, poderia atingir o objetivo de dissuasão, que não foi alcançado com a transmissão da sentença propriamente dita”, disse o tribunal de Mansoura aos deputados do país, em nota.

O desembargador responsável pelo caso disse que essa é uma situação extraordinário, pois a pena de morte transmitida ao público não é feita no país desde 1998. Mesmo assim, ele defende a punição para o assassino de Naira.

No entanto, o veredito não está imune a uma apelação. O advogado de Mohamed Adel informou que seu cliente vai recorrer da sentença.

A última vez que uma pena de morte foi ao ar no Egito foi em 1998, quando a televisão estatal transmitiu a execução de três homens considerados culpados de matar uma mulher e seus dois filhos na casa deles, no Cairo.

O método de execução para condenações civis no Egito é o enforcamento.

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br/rss/mundo
Artigo extraído do site Notícias Ao Minuto

COMPARTILHE!