Bem-vindo(a). Hoje é - Alta Floresta - MT
Anúncio Anúncio

Macron criticado por receber príncipe saudita ao tentar romper isolamento

Macron criticado por receber príncipe saudita ao tentar romper isolamento
Nos siga no Instagram para receber as notícias em primeira mão!

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O presidente francês, Emmanuel Macron, recebeu nesta quinta (28) o príncipe saudita Mohammed bin Salman, que faz uma turnê pela Europa para tentar romper o isolamento imposto a ele após acusações de desrespeito aos direitos humanos e de ser o mandante do assassinato do jornalista Jamal Khashoggi.

Países ocidentais têm procurado o sucessor do trono da Arábia Saudita, um dos maiores produtores de petróleo do mundo, em meio à Guerra da Ucrânia e ao aumento dos preços de energia. A visita a Paris ocorre duas semanas depois da viagem do presidente dos EUA, Joe Biden, ao país do Oriente Médio. Meses antes, Boris Johnson, atual primeiro-ministro do Reino Unido, fez o mesmo movimento.

A decisão de receber MbS, como o príncipe é conhecido, no Palácio do Eliseu, sede do governo francês, rendeu a Macron críticas de organizações de direitos humanos e da oposição.

A secretária-geral da ONG Anistia Internacional, Agnès Callamard, escreveu no Twitter que o fim do isolamento do príncipe será justificado na França e nos EUA “com argumentos da ‘realpolitik'”, referência à necessidade de potências ocidentais de diminuir os preços de combustíveis depois de a inflação subir com intensidade em razão do conflito no Leste Europeu. “Mas na verdade é a barganha que predomina.”

Após a invasão da Ucrânia, países contrários a Moscou, um importante exportador de energia, procuraram diversificar suas fontes, pedindo a Riad que aumente a produção de petróleo para deter a dependência do gás russo. A Arábia Saudita, entretanto, resiste à pressão, argumentando seguir à risca os compromissos assumidos com a OPEP+ (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), liderada junto ao Kremlin.

Olivier Veran, porta-voz do governo francês, minimizou as preocupações das ONGs em torno da visita, dizendo que Macron não deixaria de lado os valores de seu país em conversas com o líder saudita, mas que eles “seriam retidos enquanto o governo trabalha para garantir petróleo para o mundo inteiro”.

Fontes no Eliseu afirmam que o presidente francês abordará a questão dos direitos humanos com o príncipe, “como sempre faz com Mohammed bin Salman”. De acordo com um de seus assessores, Macron “falará [sobre o tema] de maneira geral, mas aproveitará a chance para levantar casos individuais”.

O assassinato de Khashoggi, jornalista e colunista do jornal americano The Washington Post, dentro do consulado saudita em Istambul provocou furor internacional. A inteligência dos EUA concluiu que MbS havia aprovado diretamente o assassinato –o príncipe nega qualquer participação no crime.

As organizações Democracy for the Arab World Now (DAWN), Open Society Justice Initiative (OSJI) e TRIAL International disseram nesta quinta-feira ter apresentado uma nova queixa para pedir às autoridades francesas a abertura de uma investigação sobre a morte de Khashoggi. Uma apuração da ONU considerou o episódio um “assassinato extrajudicial pelo qual a Arábia Saudita é a responsável”.

“A visita de MbS à França, ou a de Biden à Arábia Saudita, não muda o fato de que ele é um assassino”, disse Callamard, que também foi relatora especial da ONU e investigou o assassinato do jornalista.

Macron, que em dezembro passado se tornou o primeiro líder ocidental a visitar a Arábia Saudita desde o caso Khashoggi, disse que o país é importante demais para ser ignorado no cenário internacional vigente.

O príncipe saudita, que iniciou sua turnê pela Grécia, na terça-feira, chegou a Paris na noite de quarta e foi recebido pelo ministro da Economia, Bruno Le Maire. Callamard, da Anistia Internacional, denunciou um duplo padrão com a recepção, pois, lembrou ela, muitos líderes mundiais expressaram sua condenação ao assassinato e se comprometeram a não integrar MbS à comunidade internacional.

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br/rss/mundo
Artigo extraído do site Notícias Ao Minuto

COMPARTILHE!