Bem-vindo(a). Hoje é - Alta Floresta - MT
Anúncio Anúncio

Hungria quer obrigar grávidas a ouvir coração do feto antes de abortarem

Hungria quer obrigar grávidas a ouvir coração do feto antes de abortarem
Nos siga no Instagram para receber as notícias em primeira mão!

As mulheres que pretendam fazer um aborto na Hungria vão passar a ter que ouvir o batimento cardíaco do feto antes de consentir a realização do procedimento médico, de acordo com um novo decreto emitido pelo governo húngaro nesta segunda-feira.

O novo regulamento deve entrar em vigor na quinta-feira.

“Quase dois terços dos húngaros associam o início da vida de uma criança ao primeiro batimento cardíaco”, justificou o Ministério do Interior na segunda-feira.

Desde que Viktor Orbán chegou ao poder, em 2010, introduziu uma série de medidas destinadas a aumentar a taxa de natalidade, que estava em queda no país. Apesar disso, ainda não havia mexido na legislação referente ao aborto.

A interrupção voluntária da gravidez é legal na Hungria desde a década de 1950. A lei não sofre alterações desde 1992, sendo permitido o aborto até à 12ª semana por motivos médicos ou sociais. Nos casos de anomalia no feto, o procedimento pode ser realizado em qualquer momento da gestação.

No entanto, de acordo com o The Guardian, uma mulher que procura um aborto precisa de um documento de um ginecologista que confirme a gravidez e deve visitar os serviços de família duas vezes, com pelo menos três dias de intervalo. O objetivo é discutir a possibilidade de dar o bebê para adoção e ter conhecimento dos benefícios do Estado para as mães.

A introdução desta nova condicionante é vista como mais um passo em direção à ilegalização do aborto. A maioria dos médicos especialistas considera mesmo o termo “batimento cardíaco” enganoso no que se refere às primeiras semanas de gravidez. 

 

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br/rss/mundo
Artigo extraído do site Notícias Ao Minuto

COMPARTILHE!