Bem-vindo(a). Hoje é - Alta Floresta - MT

Como se calcula a nota do Enem? Confira outras perguntas frequentes sobre a prova

Como se calcula a nota do Enem? Confira outras perguntas frequentes sobre a prova
Nos siga no Instagram para receber as notícias em primeira mão!

Falta menos de um mês para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2022. Nesta edição, que ocorrerá nos dias 13 e 20 de novembro, 3.396.632 estudantes realizarão a prova que decidirá seus futuros nos vestibulares por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

No primeiro dia, os candidatos testarão seus conhecimentos nas provas de linguagens (40 questões de Língua Portuguesa e 5 de inglês ou espanhol), Ciências Humanas (45 questões) – além da redação. No segundo, os participantes farão as avaliações de Matemática (45 questões) e Ciências da Natureza (45 questões). O formato de correção será o mesmo nas provas física e digital.

Confira algumas as dúvidas mais frequentes sobre o exame:

Quem pode fazer o Enem?

Qualquer estudante do ensino médio ou pessoas que já tenham esse grau de formação estão aptas a prestar o Enem, sem restrições de idade. Em caso do candidato ser PCD, pode ser preciso documentos para comprovar a condição e, se necessário, receber algum auxílio durante o período de prova.

Presos podem fazer o chamado Enem PPL (Pessoas Privadas de Liberdade), que ocorre em datas diferentes do regular, ainda a serem divulgadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) – as disciplinas são as mesmas do normal (Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Matemática, Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Redação).

Estudantes hospitalizados também podem prestar o exame, desde que estejam em tratamento de alguma doença a longo prazo, desde que hajam instalações adequadas para isso – e o hospital declarar a condição do aluno. Caso a internação seja por motivos pontuais, como cirurgias ou partos, ficará impedido.

Como é calculada a nota do Enem?

O candidato pode atingir um máximo de 1000 pontos em cada uma das cinco áreas. A nota é determinada pela soma das mesmas, divididas pelo número de disciplinas.

Exemplificando: caso o aluno tire 800 em Ciências Humanas, 700 em Ciências da Natureza, 500 em Matemática, 600 em Linguagens, Códigos e Suas Tecnologias e 900 na redação, basta fazer o cálculo de 800 + 700 + 500 + 600 + 900, que dá o total de 3500; dividindo por cinco, a nota final é 700.

A avaliação do desempenho na redação depende dos seguintes fatores: Compreensão da proposta de redação, demonstração de conhecimento da língua necessária para argumentação do texto, domínio da norma padrão da língua portuguesa, elaboração de proposta de solução para o problema abordado, respeitando valores e considerando as diversidades socioculturais e seleção e organização das informações. Cada um dos critérios concede um máximo de 200 pontos. Somando todos, chega-se ao total de 1000.

Dependendo da faculdade escolhida pelo candidato, algumas áreas podem ter peso maior. Por exemplo, nas engenharias, a matemática pode ter mais influência. Neste caso, na hora de somar todas as notas, multiplica-se o total da área pelo índice de peso. Caso Matemática e suas Tecnologias tenha 3 de peso e o aluno tirou 500, multiplicaria 500 por 3. Na hora de dividir, a operação é feita com a soma do número total de pesos.

Bolsas no ProUni e vagas pelo Sisu são calculadas de acordo com a nota de corte dos cursos escolhidos, e das instituições. Por isso, o candidato deve ficar atento a essas informações quando forem divulgadas pelo Inep.

É obrigatório fazer o Enem?

Não é obrigatório prestar o exame. No entanto, muitas universidades respeitadas e bem ranqueadas em suas áreas utilizam a nota do Sisu ou do próprio Enem, assim como o ProUni também depende dos resultados da prova, por isso, não realizá-la pode deixar o aluno para trás na competição por uma vaga.

Quem tem isenção de taxa?

Um grupo específico de candidatos pode pedir isenção da taxa de inscrição do Enem, são eles: participantes que cursam a última série do ensino médio em escolas públicas; que cursaram todo o ensino médio em escola pública ou sejam bolsistas integrais em escolas privadas (com renda igual ou inferior a um salário mínimo e meio); que estão em situação de vulnerabilidade socioeconômica e os que tiveram isenção aprovada na edição de 2021 e não puderam comparecer à prova, desde que a ausência tenha sido justificada.

O período de pedir a isenção começou e encerrou em abril, ou seja, muito antes da realização das provas. O candidato que precisar do recurso em 2023 deverá estar atento desde os primeiros meses do ano.

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br/rss/mundo
Artigo extraído do site Notícias Ao Minuto

COMPARTILHE!
WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE