Bem-vindo(a). Hoje é - Alta Floresta - MT

Governo de MT garante apoio ao IBGE para acelerar coleta de dados do Censo 2022

Governo de MT garante apoio ao IBGE para acelerar coleta de dados do Censo 2022
Nos siga no Instagram para receber as notícias em primeira mão!

Governo de MT garante apoio ao IBGE para acelerar coleta de dados do Censo 2022

Mais de dois meses após o início das atividades, apenas 30% da população mato-grossense foi mapeada

Camilla Zeni
| Secom-MT

Secretário da Casa Civil garante apoio ao recenseamento do IBGE – Foto por: Divulgação/Secom-MT

Secretário da Casa Civil garante apoio ao recenseamento do IBGE

O Governo de Mato Grosso garantiu apoio ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para acelerar o processo de coleta de dados do Censo 2022, iniciado em 1º de agosto. O acordo foi estabelecido em reunião na manhã desta segunda-feira (17.10).

De acordo com o secretário-chefe da Casa Civil, Rogério Gallo, o Estado vai prestar auxílio logístico, por meio da disponibilização de veículos e motoristas para o trabalho nos maiores municípios.

“É preciso reconhecermos a importância do recenseamento. É com base na contagem de domicílios, da quantidade de habitantes, que são definidas as políticas públicas por parte do governo do Estado, prefeituras e também do Governo Federal, inclusive para repasses de recursos para área de saúde e partilha de receita de impostos”, ressaltou o secretário. 

O IBGE também vai contar com apoio da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) e da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) para a divulgação da importância do recenseamento junto aos servidores públicos, professores, pais e alunos.

Em Mato Grosso, mais de 1,1 milhão de endereços devem ser visitados por mais de 3,6 mil recenseadores contratados pelo IBGE até o final de novembro. 

Entretanto, conforme a superintendente estadual do IBGE, Millane Chaves da Silva, o órgão tem enfrentado dificuldades para a conclusão dos trabalhos: uma é encontrar trabalhadores interessados em atuar como recenseadores até o fim do período; a outra é o acesso aos domicílios. 

“Infelizmente, em Mato Grosso, a coleta de dados está com uma velocidade de trabalho menor do que a esperada, e isso se dá devido ao próprio contexto econômico do Estado. Como Mato Grosso é o segundo estado do país com a menor taxa de desemprego, temos uma dificuldade de captar pessoas”, observou a superintendente. 

Conforme Millane, a expectativa é que, com o apoio do Governo de Mato Grosso, o número de servidores temporários, contratados exclusivamente para o Censo 2022, aumente, de forma que o Estado possa avançar no trabalho de coleta de dados. 

Até o momento, mais de 116 milhões de pessoas já passaram pelo processo de recenseamento em todo o país. Em Mato Grosso, porém, apenas 30% da população mato-grossense foi mapeada, o equivalente a pouco mais de 1,3 milhão de habitantes.

“O recenseamento vai além de contar a nossa população. Todas as políticas públicas estaduais, federais e municipais têm como base esse censo demográfico, então ele é fundamental para o planejamento público e privado do país. Precisamos que a população mato-grossense se sensibilize para atender o recenseador quando este bater em sua porta”, manifestou a superintendente do IBGE.

Participaram da reunião os secretários de Estado Alan Porto (Educação), Basílio Bezerra (Planejamento e Gestão), o secretário adjunto Djalma Silvestre Fernandes (Ciência, Tecnologia e Inovação), e os prefeitos Hemerson Máximo (Colíder) e Fernando Gorgen (Querência). Também, os servidores do IBGE Luiza de Sousa Goulart, Márcio Henrique de Freitas Cavichiolli, Júlio Victor Gomes Pereira e Raquel Gomes Soares de Matos.

C

Fonte: mt.gov.br

COMPARTILHE!