Bem-vindo(a). Hoje é - Alta Floresta - MT

Chuvas irregulares e altas temperaturas causam preocupação aos produtores rurais

Chuvas irregulares e altas temperaturas causam preocupação aos produtores rurais
Nos siga no Instagram para receber as notícias em primeira mão!

Alguns municípios estão há 25 dias sem chuvas situação que pode trazer impacto direto na semeadura da soja, que está na reta final no Estado. O Aproclima, projeto desenvolvido pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) constata altas temperaturas, chuvas irregulares e o baixo volume de água no armazenamento do solo podem prejudicar a produtividade da safra 2022/23 no Estado.

O produtor em Diamantino (Médio Norte), Napoleão Rutilli, disse que a situação na região é delicada. “Estamos com a soja plantada desde o dia 23 de setembro, está florescendo e não choveu. Neste mês de novembro já vamos para 12 dias sem chuva, sem contar com o sol escaldante e temperaturas altas”, declarou. A falta de chuvas preocupa também o produtor de Campo Novo do Parecis, Marcos Ortolan, algumas regiões estão até 15 dias sem chover. “É possível que a produtividade vai cair, pois com o solo seco a soja acaba sentindo”, afirmou.

O presidente da Aprosoja-MT, Fernando Cadore, disse que o Estado saiu de um período natural de estiagem e desde então as chuvas ainda não estão regulares. “Os plantios que foram feitos em quase todas as regiões vêm se desenvolvendo de maneira não satisfatória e já nos preocupa, uma vez que as previsões sempre levam em consideração as áreas plantadas versus a produtividade máxima, e quando a gente tem estiagem e a intercorrência na questão climática ao longo do desenvolvimento da cultura, existe a probabilidade de se colher volumes menores no final da safra”.

Cadore acrescenta que, diante de altos custos e agora a instabilidade climática, o produtor já começa a ter preocupações. “A Aprosoja-MT volta a pedir que alguns Institutos revejam as previsões de estimativa de colheita, uma vez que deveriam ser avaliados a área plantada versus a produtividade mínima histórica, considerando o fator climático no decorrer da cultura, e aí sim fazer as atualizações da previsão de colheita em paralelo ao acompanhamento climático”, finalizou.

De acordo com o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (IMEA), a área de plantio de soja em MT é de quase 12 milhões de hectares e a expectativa de produção de 42 milhões de toneladas do grão.

A informação é da assessoria da Aprosoja.

Fonte: https://www.sonoticias.com.br/category/agronoticias
Artigo extraído do site Só Notícias

COMPARTILHE!