Bem-vindo(a). Hoje é - Alta Floresta - MT

Viabilizada pelo governador, obras da 1ª Ferrovia Estadual iniciam na segunda-feira (07.11)

Viabilizada pelo governador, obras da 1ª Ferrovia Estadual iniciam na segunda-feira (07.11)
Nos siga no Instagram para receber as notícias em primeira mão!

Viabilizada pelo governador, obras da 1ª Ferrovia Estadual iniciam na segunda-feira (07.11)

Terminal ferroviário é aguardado há décadas e foi “destravado” após articulação liderada por Mauro Mendes

Lucas Rodrigues
| Secom/MT

O governador Mauro Mendes

O governador Mauro Mendes

Viabilizada após intensa articulação do governador Mauro Mendes, a 1ª Ferrovia Estadual de Mato Grosso terá as obras iniciadas na próxima segunda-feira (07.11), em Rondonópolis.

O evento que marca o início das obras será realizado a partir das 8h da mesma data, no terminal ferroviário da cidade. Serão construídos 730 quilômetros de trilhos, em dois ramais, um ligando Rondonópolis até Cuiabá e outro ligando Rondonópolis até Lucas do Rio Verde, se conectando à malha ferroviária nacional até o Porto de Santos (SP).

A ferrovia é um sonho antigo dos mato-grossenses, mas só conseguiu viabilidade em 2021, quando o Governo do Estado estudou os marcos legais necessários e o governador alinhou uma lei para aprovação na Assembleia Legislativa, criando segurança jurídica para a construção do empreendimento, bem como um acordo junto aos indígenas Bororo, que residem nas proximidades.

Diretor jurídico da empresa Rumo, que ganhou o edital para construir o modal, Valter Pedrosa afirmou que as soluções costuradas pelo governador são “pioneiras” e mostram o empenho em prol da ferrovia, que irá trazer desenvolvimento e empregos para Mato Grosso.

Ele ressaltou que nenhum outro estado do país conseguiu viabilizar uma ferrovia estadual.

“Temos outros exemplos de investimentos que estão travados porque não foi possível alcançar um acordo como esse. O Estado assumiu um papel relevante de viabilizar o investimento”, disse.

A previsão é de que a Rumo invista mais de R$ 11,2 bilhões na ferrovia, recursos totalmente privados, que irão gerar 186 mil empregos diretos e indiretos, impactando 27 municípios na margem do traçado previsto.

Além disso, de acordo com o governador, a ferrovia não só vai auxiliar no escoamento dos grãos, como impulsionar o comércio e a indústria, pois haverá mais uma alternativa para o transporte de produtos, barateando o frete.

“No ritmo que Mato Grosso está crescendo a sua produção, sem uma ferrovia iríamos entupir as rodovias, prejudicando o tráfego, a qualidade do asfalto, e aumentando a poluição. A ferrovia vai aliviar esse fluxo com um impacto ambiental muito menor. Essa obra vai tornar Mato Grosso ainda mais atrativo para as empresas se instalarem e criarem mais empregos, e isso inclusive já está acontecendo”, destacou.

Início das obras

A primeira etapa das obras será a construção de um viaduto ferroviário, no local onde está projetado o km 8 da nova ferrovia, que será uma transposição sobre a Rodovia BR-163, administrada pela concessionária Rota Oeste.

A conclusão do viaduto sobre a BR-163, que está situado na saída do terminal de Rondonópolis, é fundamental para facilitar a logística das obras da linha férrea.

O primeiro levantamento prevê 22 pontes, 21 viadutos, 5 passagens inferiores e um túnel com quase 2 quilômetros de extensão. A estimativa é que todo o trajeto seja concluído até 2028.

Uma vez implantada a ferrovia, a Rumo fica autorizada a explorar o modal pelo prazo de 45 anos, sendo que a infraestrutura ferroviária poderá ser compartilhada pela empresa vencedora com outra empresa de transporte ferroviário que venha a prestar serviços no Estado.

C

Fonte: mt.gov.br

COMPARTILHE!