Bem-vindo(a). Hoje é - Alta Floresta - MT

Djokovic espera apoio na Austrália, mas reconhece chance de recepção hostil

Djokovic espera apoio na Austrália, mas reconhece chance de recepção hostil
Nos siga no Instagram para receber as notícias em primeira mão!

Depois de desembarcar discretamente na Austrália, terça-feira, quase um ano após ser deportado do país por não se vacinar contra a covid-19, Novak Djokovic conversou com a imprensa nesta quinta, em Adelaide, onde disputará um torneio de nível 250 que usará como preparação para o Aberto da Austrália. Questionado sobre um possível comportamento hostil dos torcedores em razão da polêmica, mostrou algum otimismo de que pode ser bem-recebido, embora reconheça a possibilidade de uma reação negativa vinda das arquibancadas.

“Espero que tudo corra bem. A reação dos fãs é algo que não posso prever. Eu faço o melhor para jogar um bom tênis e levar boas emoções à plateia”, afirmou. Ao comentar o episódio vivido em janeiro deste ano, disse que foi um dos momentos mais difíceis de sua carreira, mas que isso não tira sua alegria de voltar a competir em território australiano.

“Obviamente, o que aconteceu 12 meses atrás não foi fácil para mim, para minha família, minha equipe, qualquer pessoa próxima a mim. Foi frustrante deixar o país daquela maneira. Não há como esquecer esses eventos, é uma dessas coisas que continua com você pelo resto de sua vida. É algo que nunca tinha vivido e espero não viver mais, mas foi uma experiência valiosa e algo que vai ficar comigo, tenho que seguir em frente”, afirmou.

Atual quinto colocado do ranking da ATP, Djokovic era o número 1 do mundo quando foi impedido de disputar a última edição do major australiano. Na ocasião, ainda foi deportado pelo governo local e banido de entrar no país oceânico por três anos, punição retirada pelo Ministério da Imigração no início deste mês. Além disso, a Austrália já não exige mais comprovante de vacinação para visitantes, por isso o sérvio pôde desembarcar sem problemas.

O ex-número 1 tem nove títulos do Aberto da Austrália e brigaria pela quarta conquista consecutiva em 2022 se não tivesse sido banido, pois foi campeão em 2019, 2020 e 2021. De volta à disputa do Grand Slam inaugural das temporadas do tênis, buscará o histórico décimo título. “É ótimo estar de volta à Austrália. É um país onde tive um sucesso tremendo na minha carreira, particularmente em Melbourne. É, de longe, o Grand Slam onde tive mais sucesso. Espero que tudo corra bem”, disse.

O CASO

Em janeiro de 2022, Novak Djokovic viveu um dos piores momentos de sua carreira, com repercussões mundiais e diplomáticas. Sem vacina e sem comprovante, obteve uma permissão especial para entrar na Austrália para disputar o Grand Slam em janeiro. No entanto, esta permissão não foi considerada pelas autoridades da fronteira e Djokovic ficou detido em um hotel.

Daí em diante, foram 10 dias de polêmicas e declarações controversas por parte do tenista e das autoridades australianas que acabaram nos tribunais locais. A Justiça local acabou decidindo pela deportação do tenista, que não pôde defender o título conquistado em 2021. Além disso, ele foi alvo de críticas até mesmo dentro do mundo do tênis por tentar entrar no país e disputar o torneio sem ter se vacinado, algo que foi exigido para todos os atletas.

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br/esporte
Artigo extraído do site Só Notícias

COMPARTILHE!
WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE