Bem-vindo(a). Hoje é - Alta Floresta - MT

Artista plástica de 25 anos morre em acidente de quadriciclo no RJ

Artista plástica de 25 anos morre em acidente de quadriciclo no RJ
Nos siga no Instagram para receber as notícias em primeira mão!

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – A artista plástica Amanda Mawe, mais conhecida como Cabocla, morreu em um acidente de quadriciclo na avenida Beira-mar, em Niterói (RJ). A jovem de 25 anos estava acompanhada de uma amiga e de um homem, que conduzia o veículo.

O quadriciclo capotou no sábado (14) no bairro de Camboinhas, área oceânica da cidade. Amanda foi declarada morta ainda no local. A Polícia Civil do Rio confirmou a ocorrência em nota à reportagem, afirmando que as circunstâncias do acidente ainda são investigadas. A mulher que acompanhava Amanda deve prestar depoimento nos próximos dias.

Ela foi socorrida com ferimentos, mas já foi liberada, deixando uma mensagem para a amiga nas redes sociais antes de seu sepultamento, que aconteceu no início da tarde desta segunda-feira (16).

“Fui a escolhida para passarmos os últimos momentos juntas e você estava tão feliz. Eu ainda não consigo acreditar, ontem enquanto eu estava no hospital a única coisa que se passava na minha cabeça era você”, escreveu a jovem nos stories do Instagram.

Além do depoimento, os policiais também buscam imagens de câmeras de segurança e esperam laudos de perícia para esclarecer o que aconteceu.

O motorista do quadriciclo já foi identificado e é procurado pelos agentes, mas a Polícia Civil não deu informações sobre qualquer mandado expedido contra ele. Segundo amigos de Amanda, o rapaz não fugiu do local logo após o acidente e foi o responsável por acionar o socorro. O caso é investigado pela 81ª DP (Itaipu).

JOVEM TINHA OBRA INSPIRADA NAS RAÍZES BRASILEIRAS

Grafiteira, ilustradora e artista plástica, Cabocla tinha mulheres indígenas e pretas como protagonistas da maioria de suas obras, estampadas em telas e murais urbanos ou esculpidas em materiais como argila.

Um de seus últimos trabalhos, “Mama Júpiter”, foi a “maior cria” da jovem, que teve a chance de grafitar um mural gigante no Moinho Fluminense, na capital carioca.

Amanda era nascida e criada na Região Metropolitana do Rio de Janeiro e ganhou uma homenagem de sua terra natal, que destacou o impacto de suas obras autorais.

“Com talento e personalidade impressos em suas obras, seja pela pintura ou grafite, Cabocla eternizou sua passagem por Maricá”, escreveu a administração municipal em um post no Instagram.

Ao descrever suas motivações para esculpir e desenhar, a jovem deixou claro sua ligação com o “sagrado feminino” e sua vontade de espalhar a cultura nacional por meio da arte.

“A figura da mulher tribal tem um grande poder e influência sobre a minha arte. Estudo diversas culturas ao redor do mundo para criar cada obra e tenho um verdadeiro fascínio por abordar a magia e a beleza do misticismo e a magia natural feminina. Vejo o meu trabalho como uma oportunidade de espalhar nossa cultura em forma de arte e nos lembrar da riqueza da nossa origem indígena e das raízes desse país”, declarou Amanda Mawe.

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br/rss/mundo
Artigo extraído do site Notícias Ao Minuto

COMPARTILHE!
WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE